7 de mai de 2013

ALMAH - Edu Falaschi: “Sou um cara da paz, mas fico puto com injustiças, o problema é ser autêntico e falar a verdade, eu não tenho rabo preso com ninguém.”

[Entrevista] Por Geraldo Andrade

O nosso entrevistado, dispensa apresentações, é um dos músicos mais renomados nos cenários do heavy metal, no Brasil e no mundo. Fui conversar com Edu Falaschi, vocal do Almah. Edu recebeu muito bem o Heavynroll, nos contou como anda a produção do novo álbum da banda, da ligação com Caxias do Sul, e claro, das polêmicas. Vale conferir! 

HEAVYNROLL - Edu, tudo bem? Antes de começar a nossa conversa, quero te agradecer em nome do Heavynroll, por nos conceder essa entrevista:

EDU - Imagina, obrigado a vocês pelo interesse em minha história. 

HEAVYNROLL Vamos começar falando do próximo álbum do Almah, o sucessor de “Motion” de 2011, como estão as gravações? O que podemos esperar do Almah nesse novo álbum? 

EDU - Estamos entrando em estúdio para captar o mais novo trabalho. Teremos um álbum cheio de variedades, com diferentes atmosferas, mas o ponto marcante desse novo trabalho é uma sonoridade bem pra frente, positiva e de uma postura ativa! 

HEAVYNROLL A banda agora tem um novo baixista, Raphael Dafras, como foi feita a escolha para Rafael ocupar a vaga de baixista? 

EDU - Sim, pensamos em vários nomes, testamos alguns ótimos músicos, mas o Raphael foi a nossa escolha não só por tocar absurdamente bem, mas principalmente por ser uma pessoa de caráter, tranquilo e proativo. 

HEAVYNROLL Como somos um blog de Caxias do Sul, não podemos deixar de falar de um grande guitarrista que passou pela banda, o nosso conterrâneo Paulo Schroeber. Qual foi o sentimento, seu e da banda, quando Paulo, por motivo de doença, deixou a banda em 2012? 

EDU - Cara, foi muito triste, recebemos um e-mail dele explicando tudo, rolou um mega baque na banda, desânimo total, não tinha opção, ele é nosso amigo e era nosso guitarrista, sempre tivemos e teremos muito orgulho do Paulo, quem sabe num futuro ainda possamos fazer algo juntos, estamos torcendo por sua recuperação. Enfim, seguimos em frente, nos apoiamos uns nos outros e encontramos o Gustavo de Pádua, somos uma banda de sorte, sempre tocamos com músicos de primeira, isso nos da mais e mais força para seguir com nosso som, o Gustavo é um absurdo, talentoso demais, guitarrista monstro, canta muito bem e ainda compõe como poucos, Estamos prontos para detonar de novo e loucos para voltar aos palcos como o novo CD. 

HEAVYNROLL Ainda falando em Caxias do Sul, parece que a banda tem uma ligação muito forte com a cidade. Tem os caxienses Paulo e o baterista Marcelo Moreira. E mais recentemente o clipe das músicas "Trace of Trait" e “Late Night in 85'”, foi gravado na cidade. Você pode comentar essa ligação? 

EDU - Sim, Caxias é linda e sempre nos recebeu de braços abertos, foi demais fazer 2 clipe lá, ainda mais com o grande diretor ALEX MILESI, sem ele nada disso tinha rolado. 



HEAVYNROLL Você esteve com o Angra no Rock in Rio de 2011, e esse ano, têm a volta com o Almah. O que podemos esperar desse show tão aguardado? 

EDU - Podem esperar muita alegria no palco, entrosamento, respeito, garra, união, qualidade técnica e o principal, uma banda fazendo música ao vivo única e exclusivamente pelo amor a música e ao heavy metal. Faremos o melhor show de metal que o Palco Sunset já viu! 

HEAVYNROLL Nessa apresentação de 2011, você foi muito criticado pela mídia e o publico. A volta em 2013 é uma resposta aos teus maiores críticos? 

EDU - Realmente. Em 2011 foi o limite pra mim em vários aspectos, cantei sim mal, não nego, estava doente, não estava feliz e muito menos confortável, foi desesperador, uma época que quero apagar da minha memória, não o show em si, mas tudo o que permeava os bastidores naquele momento. 
No próximo RNR com o Almah, não viso fazer um show para dar resposta a ninguém, não tenho que provar nada pra qualquer um que seja, tive um problema de saúde que me prejudicou muito profissionalmente e emocionalmente, do qual eu preciso, eternamente, tratar e manter sob controle. Mas minha história de lutas e vitórias está ai pra quem quiser ver e ouvir. Tenho mais de 20 anos de carreira, comecei nos botecos e cheguei aos mais importantes palcos do mundo, gravei grandes discos com Symbols, Angra e Almah, existem vários vídeos meus cantando normalmente bem ao vivo em programas de TV e em shows no Brasil e exterior, antes do meu problema de saúde e mais recentemente com a minha recuperação. Está ai, é História, isso ninguém me tira e muito menos se apaga. 
Infelizmente o ser humano tem a tendência de propagar o que é mais negativo, dá mais ibope, é a essência humana! Resta pra mim, me cuidar, fazer o meu melhor e apresentar o que público espera de mim, o mesmo talento que eles conheceram e cresceram ouvindo, ao som de "What Can I do", "Nova Era", "Spread your Fire", etc... Esse é meu foco!


HEAVYNROLL Algumas declarações e entrevistas suas, causaram muita polêmica, você se acha uma pessoa polêmica? 

EDU - Sou um cara da paz, mas fico puto com injustiças, o problema é ser autêntico e falar a verdade, eu não tenho rabo preso com ninguém, portanto, tudo o que falei foi pro bem, por amar o heavy metal e por querer ver as coisas mais justas, corretas e profissionais no meu próprio país. Não sou um ativista nacionalista, revolucionário, nada disso, muito menos contra o que é importado. Falei de um assunto específico, que é o mercado da música aqui no Brasil e ponto. 
Mas vou sempre defender os interesses da música feita pelo brasileiro para o brasileiro e para exportação, seja na língua que for. Mas na real, está tudo certo, já dei meu recado, passou. Enfim, estou em paz e focado em fazer o meu trabalho com o Almah, quero me divertir fazendo o que mais amo que é cantar heavy metal. 

HEAVYNROLL Você ficou conhecido mundialmente por ser o vocal do Angra, como você vê a atual momento da banda? Sem vocalista definido. 

EDU - Estou focado no Almah e em mostrar pro mundo que somos uma das melhores bandas de heavy metal da atualidade! Estou em estúdio e fazendo o que eu amo ao lado de amigos! Só isso que me interessa! 

HEAVYNROLL Podemos dizer que a sua saída da banda, te fez um bem tremendo? Pois em minha opinião, tua carreira com Almah vive um grande momento. 

EDU - Tenho muito orgulho da história que construí com o Angra, as músicas que escrevi para a banda, os diversos shows que fiz os milhares de fãs que conquistei mundialmente dos quais sou eternamente grato, jamais me esquecerei disso tudo, porém estar num ambiente de paz, confiança, confortável e tranquilo é fundamental para se ter saúde e poder oferecer o seu potencial máximo. 
O Almah é algo novo, faz parte de uma nova geração e força do heavy metal, veio pra ficar, tem um grande futuro pela frente, é uma banda cheia de vida e que tem muita história pra contar, está em ascensão e vamos detonar com o novo álbum. 

HEAVYNROLL Qual a tua opinião sobre a atual cena rock no Brasil? 

EDU - É uma cena que ainda precisa ser trabalhada, se tornar mais profissional e justa. Como e quando isso ocorrerá? Não sei, torço para sempre ficar cada vez melhor e mais forte. Temos potencial pra isso, de bandas e público, estamos ai, é só cada um fazer a sua parte. 

HEAVYNROLL Que bandas brasileiras, você destacaria na atualidade? 

EDU - Vou falar algumas das que tenho escutado: Hibria, Shadowside, Shaman, Mindflow, Voodoo Priest, Torture Squad, Dynahead, Nervosa, Pastore, Zaltana, Furia Inc., Motorocker, Matanza, etc...

HEAVYNROLL E vocalistas? Qual você destacaria hoje em dia? 

EDU - Temos vários ótimos, não dá pra citar todos, mas eu admiro muito Iuri Sanson, Vitor Rodrigues, Nando Fernandes, Thiago Bianchi, Dani Nolden, Victor Cutrale, Mario Pastore, cara tem vários talentos por ai... muitos mesmo... 

HEAVYNROLL Voltando a falar em shows, como está a agenda da banda? 

EDU - Estamos preparando tudo para o segundo semestre de 2013, quando o disco novo já vai ter saído. Já temos algumas datas fechadas, mas só divulgaremos mais pra frente. Para quem quiser contratar o Almah é muito fácil, é só ligar para 11-95604-0999 ou entrar no site da Base 2 Produções, lá encontrará todas as infos sobre o Almah, www.base2producoes.com.br

HEAVYNROLL Como somos um blog gaúcho, sempre faço essa pergunta, o que você conhece do rock feito na nossa terra? 

EDU - Obviamente o Hibria, Hangar, Krisiun, Scelerata, entre tantas outras ótimas bandas, inclusive uma que não é metal, mas eu acho muito boa banda, o Reação em Cadeia

HEAVYNROLL Um momento que acho legal na tua carreira é o teu registro na trilha sonora do 
desenho japonês Cavaleiros do Zodíaco. Como ocorreu o convite para essa participação? Você pode comentar esse momento? 

EDU - A Editora Álamo me convidou e eu aceitei, não fazia ideia da força desse clássico mesmo nos dias de hoje, afinal é um desenho antigo. Tornei-me um ícone no nicho de Anime e hoje participo de diversos eventos pelo Brasil. Inclusive vou cantar a nova música dos Cavaleiros dos Zodiaco Omega, que deve estrear em breve. Mas o clássico e grande hit sempre será a "Pegazus Fantasy". 

HEAVYNROLL E o Edu produtor musical? Como é ser considerado um dos melhores produtores de Heavy Metal do Brasil? 

EDU - Fico muito feliz de estar contribuindo para que o Brasil possa ter bandas com discos de metal com qualidade, sempre tivemos no Brasil, grandes produtores e estúdios especialistas em Pop, Samba, Axé, Sertanejo, mas hoje temos ótimos estúdios especializados em Heavy Metal, como o DOIT! STUDIO, FUSÃO STUDIOS, NORCAL STUDIOS, MR. SOM STUDIOS e o SONATA 84 STUDIOS, têm espaço pra todo mundo e as bandas de metal agora tem onde trabalhar com o máximo em qualidade técnica. 

HEAVYNROLL Além de vocalista, produtor, você também é professor de canto, como é o professor Edu Falaschi? 

EDU - Eu trabalho mais como um “Coaching”, percebo o que o aluno tem de melhor e de pior e dou um direcionamento, lapidando-o, com técnicas de canto, além de muitos outros toques que são importantes para a carreira do cantor como um todo. Faço as aulas no meu estúdio, pessoalmente e individualmente, gravamos as aulas, assim o aluno desenvolve mais quando se ouve sem estar cantando, tem mais percepção, o que eu considero de extrema importância para quem canta. Meus alunos são meus queridos, me dedico de corpo e alma para que eles cresçam artisticamente e como pessoa. 

HEAVYNROLL Um show inesquecível? 

EDU - DIO em São Paulo, no Credicard Hall em 2004. 

HEAVYNROLL Um álbum inesquecível? 

EDU - "Emotional Catastrophe" do DR. SIN 

HEAVYNROLL Um recado para os fãs e leitores do Heavynroll: 

EDU - Primeiro quero mandar um grande abraço para todos os fãs gaúchos e dizer que estou ansioso para tocar por ai, pois sempre me lembro do quanto eles são maravilhosos comigo e o quanto esse público é insano durante os shows! Segundo, obrigado a todos os fãs do Brasil por estarem sempre ao meu lado e finalmente obrigado a vocês pela entrevista! Foi bem bacana!